PadrõesPsicóticos

Escrevo, sinto, minto.

0 notes

Não adianta. Já to cansada de ver todo mundo ser feliz, e eu parada nessa vida que de repente acaba. Não adianta insistir, quando só eu insisto e ainda sim sei que não vale a pena. E eu queria que valesse. Queria que cada segundo nos seus braços fossem realmente incríveis, e são. Inesquecíveis, inigualáveis, inexistentes. Desejava que tudo voltasse a ser como antes e você pudesse realmente me fazer completa, inteira. Mas eu tenho que ser inteira sozinha, eu tenho que me completar. Parece, aliás, que a gente nem se conhece, que somos nada, e um dia éramos tudo.

Filed under me